No artigo mais recente que escrevi, prometi falar sobre os custos de improvisação no canteiro de obras. Para ilustrar esse assunto, gosto de comparar a construção civil com um dos seus parentes mais velhos e bem sucedidos na economia brasileira: a indústria automobilística. Acredito que esse seja um bom exemplo de parâmetro ou objetivo a atingir. Percebe-se a semelhança apenas comparando o setor produtivo dessas duas indústrias, uma...

Leia Mais

Como vimos no artigo Soluções viáveis para compatibilizar o projeto estrutural, quando não for possível evitar a interferência dos elementos dos demais projetos de uma edificação, como tubulações com as vigas de uma estrutura por exemplo, é necessário prever a existência vigas com furos ou rebaixos no projeto estrutural. Vale lembrar que a existência de vigas com furos ou rebaixos interfere na capacidade de resistência desses...

Leia Mais

Toda vez que se ouve uma notícia de que na Europa, Estados Unidos ou Japão foram entregues prédios, pontes ou outras obras civis dentro ou até mesmo antes do prazo do planejamento estratégico previsto, nos ocorre a seguinte dúvida: por que não ocorre o mesmo aqui no Brasil? Por que as obras são entregues em um prazo muito superior ao prometido ou planejado? Será que fora do Brasil há mais tecnologia disponível para a execução de...

Leia Mais

Nos artigos mais recentes, vimos que um fluxo de trabalho que integre os projetistas que fazem parte de um empreendimento, é fundamental para evitar situações de improvisos em obra, custos de execução adicionais e atrasos no cronograma. Neste conceito de interoperabilidade, o projeto estrutural talvez seja aquele que mais necessita de ajustes devido a influência das demais disciplinas, como projetos hidrossanitários, elétricos, ar...

Leia Mais