Utilize uma ferramenta para projeto de iluminação artificial

Continuando nossos conteúdos sobre projeto de iluminação, vamos conhecer ferramentas especializadas que facilitam o dia a dia do projetista. Na matéria sobre softwares de iluminação da Revista Lume Arquitetura, um trecho muito interessante diz que prancha e calculadora científica foram durante muitos anos parceiros inseparáveis de arquitetos e lighting designers, mas com o avanço da tecnologia estão se tornando objetos raros nos escritórios. Pois, atualmente, até os projetistas que adoram rabiscar algo no papel também utilizam softwares de cálculo.

Para executar um projeto luminotécnico, onde será avaliado o comportamento do sistema de iluminação natural e artificial, é fundamental o conhecimento das informações técnicas sobre o desempenho das luminárias utilizadas e de softwares especializados para facilitar o lançamento e distribuição automática destes elementos, levando em consideração os espaçamentos específicos entre cada região.

Como mencionado anteriormente, no post sobre projeto de iluminação artificial, o Método dos Lumens é usado para determinar a quantidade de luminárias (dada uma determinada região), necessária para atingir a iluminância média desejada sobre a área de trabalho em um ambiente interno, para um projeto de iluminação artificial.

Para efetuar essa distribuição através do Método dos Lumens, vamos primeiramente responder às perguntas definidas no post anterior. Selecionamos como exemplo uma sala de espera, interna e fechada, onde será realizada uma distribuição regular das luminárias pelo teto (iluminação geral), utilizando uma luminária de sobrepor com iluminação direta.

Como dados da lâmpada, podemos destacar:

Potência: 40W

Eficiência: 0,9 nl

Tensão aplicada: 220V

Fluxo luminoso: 2500 lumens

Como informações extras, utilizaremos as refletâncias de 80%, 50% e 30% para o teto, parede e piso, respectivamente. Nosso ambiente é considerado normal em relação à limpeza e o período de manutenção das luminárias é de 5 mil horas.

Com estes dados, podemos realizar o dimensionamento através do método. Para nos auxiliar, utilizamos o software QiElétrico, no qual basta selecionar a área de lançamento e preencher os parâmetros, conforme levantamento efetuado, para obtermos a quantificação das luminárias necessárias ao ambiente. Assim, garantimos ao projeto de iluminação a iluminância normativa (200 lx). E também o lançamento automático das peças no ambiente de CAD, levando em consideração os espaçamentos entre luminárias e paredes.

projeto-de-iluminacao

Lançamento das luminárias através do Método dos Lumens. Fonte: Software QiElétrico

 

Os programas computacionais auxiliam, e muito, no trabalho dos projetistas, pois efetuam em um curto espaço de tempo o dimensionamento e lançamento dos elementos do projeto de iluminação, considerando os critérios pré-definidos. É importante ressaltar que, independentemente do tipo de projeto, os conceitos, efeitos pretendidos e modelagem do espaço necessitam estar bem claros na cabeça do projetista.

O professor Nelson Solano destacou, na Revista Lume Arquitetura, que “há quem pense que saber operar softwares é estar apto para projetar a iluminação, o que não é verdade. É preciso que o projetista saiba como e porque está calculando, o significado dos dados e a importância deles na avaliação, ou seja, tenha base conceitual sobre o assunto.”

A escolha de um programa especializado para projeto de iluminação, adequado aos critérios normativos, garante um projeto com ambientes mais agradáveis ao usuário e eficientemente energético, possibilitando assim a redução do consumo em energia elétrica por parte do sistema de iluminação artificial, principalmente se estiver associado a iluminação natural.

Se você procura um software adequado para elaboração de projetos elétricos, nós podemos ajudá-lo!

Se você gostou do material acima leia também