Software para engenheiros: como trocar sem perder produtividade no meu escritório?

Sabemos que um dos itens para aumentar a produtividade em escritórios de engenharia é a automatização de processos. No entanto, incluir softwares para engenheiros na empresa significa mudar a rotina da equipe.

Por isso, antes de fazer essa mudança, é preciso planejá-la para não perder a produtividade no escritório. Confira 3 itens indispensáveis para esse planejamento.

Momento ideal

Não existe a hora certa para trocar o software ou para migrar de rotinas não automatizadas para programas especializados. Os gerentes e donos de escritórios precisam estar atentos à movimentação do mercado, muito antes de identificarem problemas. Todo processo, por mais validado que esteja, pode ser aperfeiçoado. Fugir da zona de conforto é uma atitude importante em um mercado cada dia mais competitivo. Perder o timing de melhorias pode causar consequências desastrosas.

Software mais indicado

Nem todo software para engenheiros se encaixa na rotina do escritório. O programa escolhido deve acompanhar a demanda do local e as peculiaridades dos projetos. Mais uma vez, gerentes e donos de escritórios devem estar à frente do processo, fazendo uma boa pesquisa de mercado e avaliando a opinião de profissionais.

Um exemplo de critério a ser considerado é se o software especializado possui ambiente de CAD próprio para reduzir custos de licença e problemas de atualização. Há uma lista de itens que você pode conferir no post Como escolher um software para projetos elétricos e que servem para todos os projetos de edificações.

A recomendação é obter a maior quantidade de informações antes de tomar a decisão e não se deixar levar apenas pelo valor do investimento, mas pela eficácia do programa e o pós-venda oferecido pela empresa desenvolvedora.

Treinamento planejado

Após adquirir o sistema, é hora de planejar o treinamento da equipe. O uso de programas não é intuitivo. Sem o treinamento específico, a equipe corre o risco de não usar todas as funcionalidades ou de gerar projetos com furos.

Comece identificando os profissionais com perfil colaborativo. Eles devem ser os primeiros a se capacitador para multiplicar a mudança e se tornarem tutores dos colegas. O treinamento pode usar como referência pequenos projetos do escritório, que não tenham grande impacto no cronograma. Com esse cuidado o escritório conseguirá criar seu laboratório de testes e de treinamento para reduzir a curva de aprendizados dos novos processos.

Considerando esses itens antes da troca de software, você poderá gerenciar a mudança sem perder produtividade. Além de se preocupar com os cronogramas, fique atento à receptividade dos colaboradores. Mudar ferramentas de trabalho exige uma boa conversa para repassar segurança à equipe.

Ficou com alguma dúvida sobre como trocar o software para engenheiros sem perder a produtividade do escritório? Deixe sua pergunta na área de comentários.

Podemos ajudá-lo a escolher um software adequado para a elaboração dos seus projetos elétricos.

Se você gostou do material acima leia também
[CDATA[ */ function read_cookie(a) { var b = a + "="; var c = document.cookie.split(";"); for (var d = 0; d < c.length; d++) { var e = c[d]
[CDATA[ */ function read_cookie(a) { var b = a + "="; var c = document.cookie.split(";"); for (var d = 0; d < c.length; d++) { var e = c[d]