4 estratégias fundamentais para se manter competitivo no mercado

4 estratégias fundamentais para se manter competitivo no mercado

A crise política e econômica pela qual o Brasil tem passado culminou diretamente na crise da construção civil, que tem sofrido um duro período de retração e dificultado a permanência de empresas e profissionais no mercado.

Para os projetistas, os reflexos são claros, pois a falta de investimentos em novos empreendimentos causa uma redução direta na demanda de projetos e, portanto, de oportunidades de trabalho. Para estes profissionais, existem ainda outros agravantes além da crise, como o excesso de profissionais na área de projetos, que muitas vezes faz com que os serviços sejam depreciados.

Partindo para o contexto específico de projetos, se por um lado a disseminação do modelo BIM representa novas oportunidades de trabalho, por outro é também um desafio, pois requer uma profunda mudança de paradigma do profissional, que agora tem que se adaptar a um fluxo de trabalho colaborativo, bastante diferente do modelo tradicional.

Frente a esse cenário, você deve se perguntar: como, manter-se competitivo diante de tantas dificuldades e se posicionar no mercado? Pensando nisso, listei 4 estratégias fundamentais para você se destacar no mercado em um período de crise.

Panorama de mercado

Como já visto, o setor da construção encolheu 20,5% nos últimos quatro anos e acabou fechando mais de 1 milhão de vagas em todo o país.

Apesar disso, não é raro ouvir histórias de engenheiros que se destacam e tem o privilégio de poder selecionar projetos que os interessam.

Ter este privilégio trata-se, na verdade, de garantir que seus clientes enxerguem valores no seu trabalho, como: qualidade, segurança e bom custo-benefício. A partir de então, um bom trabalho leva, facilmente, a outro. Pois acredite, não existe propaganda melhor do que aquela feita por clientes que confiam e gostam do que você entrega.

Estratégia nº 1: Entregue projetos de qualidade, com detalhamentos de alto padrão.

Desenvolver projetos cujos detalhamentos executivos são claros e nitidamente bem feitos, fará com que seu trabalho torne-se bem-conceituado perante o seu cliente, já que tenderá a simplificar o processo construtivo, reduzindo erros e retrabalhos e, portanto, evitando gastos desnecessários que ainda são rotineiros no canteiro de obras.

Nas pranchas existem tanto informações que são imprescindíveis e que devem ser incluídas nos desenhos, quanto dados complementares que facilitarão a leitura do seu projeto e farão grande diferença na percepção dos detalhes.

Para não ter erro, reunimos abaixo algumas informações e elementos necessários para criar um padrão de detalhamento de excelência:

  • Escolha de armaduras que resulte em detalhamentos de fácil compreensão e execução simplificada;
  • Atendimento dos padrões normativos;
  • Cotas precisas;
  • Especificação de rebaixo e elevações de cada elemento estrutural;
  • Referência para o posicionamento de nervuras, no caso de lajes nervuradas;
  • Detalhes adicionais necessários para a montagem das armaduras;
  • Indicação das armaduras e seções dos elementos estruturais de forma clara;
  • Vistas laterais dos elementos, como pilares e fundações, por exemplo;
  • Métodos construtivos empregados e especificação dos materiais;
  • Indicação de carregamentos;
  • Hachuras nas seções dos elementos;
  • Cortes transversais.

Estratégia nº 2: Estabeleça prazos sensatos e cumpra-os

A determinação de prazos para a entrega do projeto é algo fundamental para seu cliente, e claro, deve ser uma prioridade para você. Lembre-se que, com base no que foi acordado entre vocês, as demais tarefas serão agendadas e outros profissionais envolvidos.

Desta forma, é preciso refletir bem acerca dos prazos estabelecidos. Não queira cativar seu cliente com uma data que não poderá cumprir! O descumprimento das datas pode ser um fator decisivo para que ele deixe de procurá-lo, ou não indique seu trabalho.

Alguns processos podem ser facilmente otimizados com ferramentas computacionais. Hoje, os softwares disponíveis no mercado são capazes de automatizar as diversas etapas do projeto, como: análise, dimensionamento e detalhamento dos elementos estruturais, por exemplo. Desta forma, ganha-se muito em produtividade e também em qualidade, pois essas ferramentas normalmente oferecem diversos recursos que permitem obter desenhos de elevado acabamento.

Estratégia nº 3: Crie soluções eficientes

Uma das premissas mais importantes na elaboração de projetos estruturais é, sem dúvidas, a segurança. O atendimento da normalização vigente, a realização da análise de forma mais realista possível, o dimensionamento adequado dos elementos estruturais e o atendimento às exigências de durabilidade são somente alguns dos itens que devem ser atendidos de forma criteriosa durante a elaboração do projeto.

Além de obter estruturas seguras, outra premissa muito importante que também é função do engenheiro projetista, é encontrar soluções eficientes, em que a segurança seja atendida com custo mínimo possível. É natural que para encontrar tal solução sejam realizados diversos testes ao longo da concepção da estrutura, com modelos diferentes, até que seja encontrada uma solução que apresente custos reduzidos e compatíveis com a realidade de mercado.

Alcançar os objetivos acima requer, antes de tudo, ciência das normas vigentes, de modo que o projetista assegure-se de que sejam atendidas. Além disso, são necessários conhecimentos específicos das teorias de análise e dimensionamento de estruturas, que podem ser obtidos através de bibliografias consagradas no meio técnico. A experiência do projetista também não pode ser desprezada, uma vez que é a partir dela que o profissional encontra parâmetros para poder discernir se a solução encontrada é coerente.

Graças aos constantes avanços tecnológicos, as ferramentas computacionais de projeto disponíveis no mercado apresentam diversos recursos que permitem tanto criar modelos segundo conceitos e padrões normativos, quanto testar diversas soluções para um mesmo projeto, através de seus poderosos algoritmos de processamento, que rapidamente recalculam o modelo definido pelo projetista.

Neste contexto, o Eberick é uma ferramenta muito indicada para atender a essas necessidades, pois apresenta diversas funcionalidades de alta performance para análise e dimensionamento conforme requisitos normativos, permitindo ao projetista refinar o modelo estrutural de forma ágil, e ainda ter a segurança de estar atendendo a estes critérios. São inúmeras as funcionalidades relacionadas às verificações do modelo estrutural, entre as quais citamos:

Modelo integrado de análise (grelha das lajes com o pórtico formado por vigas e pilares), que permite obter análises bastante realistas em determinadas situações de projeto;

Consideração dos efeitos de temperatura e retração, que permite incluir os efeitos dessas ações de forma automática na análise da estrutura, gerando modelos mais realistas em determinadas situações de projeto. A partir deste recurso pode-se eliminar a necessidade de inclusão de juntas de dilatação no modelo, cujo objetivo é resolver o problema de variação de comprimento decorrente de variações de temperatura. Esta é uma solução muito usada em virtude de simplificações dos modelos de análise, mas representa uma solução ruim do ponto de vista construtivo. Além disso, a consideração desses efeitos é item normativo e, portanto, deve ser realizada durante a concepção de modelos estruturais.

Otimização automatizada da seção de vigas e pilares, com o algoritmo exclusivo que encontra a seção transversal mais econômica para cada viga ou pilar da estrutura, a partir de critérios pré-definidos sobre a seção transversal original. Este é um recurso exclusivo do Eberick, não disponível em nenhum outro software do mercado.

Outro ponto positivo do software é que seus recursos contemplam as diversas etapas do projeto, conforme colocado no item anterior, possui interface amigável, gera desenhos de elevada qualidade e abrange diversas tipologias estruturais em um único software. Além disso, o Eberick é o software de projetos estruturais líder no mercado Brasileiro, sendo um dos pioneiros em seu segmento: sua primeira versão data de 2002, e desde então são geradas atualizações constantes, conferindo solidez e credibilidade à ferramenta.

 

Estratégia nº 4: Mostre diferenciais competitivos, como projetos compatibilizados

Em tempos de alta competitividade, estar atualizado às tendências de mercado e até mesmo antecipá-las aos seus clientes, pode colocá-lo à frente de seu concorrente. Neste contexto, oferecer projetos compatibilizados segundo o novo modelo BIM tem se tornado um diferencial de mercado muito atrativo.

São inúmeras as vantagens de projetar de forma integrada com os demais projetistas. Antecipar a verificação de interferências entre os projetos e corrigi-las já na fase de concepção facilita tomadas de decisão e resolução de problemas, aumentando a assertividade nos lançamentos. Como resultado deste modelo, tem-se projetos muito mais precisos e realistas, com redução de retrabalhos e custos adicionais na obra.

Por isso, a entrega de projetos compatibilizados representa um grande diferencial não só para seu cliente, mas também para os engenheiros e demais profissionais envolvidos no canteiro de obras.

Finalmente, aliar todas essas estratégias à atualização constante de sua formação e ferramentas que dispõe, permitirá com que você, sem dúvidas, encontre um pedacinho do oceano azul no mercado de projetos.

Veja como o engenheiro estrutural Alberto Rodrigues teve sucesso com o software Eberick:

Se você gostou do material acima leia também