Como unir teoria e prática durante o curso de engenharia civil

A graduação em engenharia civil deixa ao final do curso, na maior parte dos estudantes, uma sensação de insegurança profissional, como se todo o conhecimento adquirido fosse insuficiente para uma atuação plena no mercado de trabalho.

Isso se justifica em parte pelo fato de que o curso de engenharia civil realmente tem uma abrangência muito grande em termos de área de conhecimento, pois aprendemos desde estruturas, até estradas, geotecnia, topografia, geodésia, matérias e tecnologias, dentre tantos outros assuntos. Na prática, não é razoável imaginar que seremos profundos conhecedores de todas essas áreas em apenas 5 anos de graduação, mesmo que em alguns casos o estudante consiga direcionar sua área de interesse já durante sua formação.
Por causa disso, há muitos relatos de jovens engenheiros que chegam ao mercado de trabalho já formados, mas sem todo o conhecimento e experiência necessários, e acabam se sentindo perdidos e inseguros.
Neste post vou sugerir algumas medidas que você pode tomar desde o início da sua graduação para evitar que isso aconteça

1. Valorize o conhecimento de base.

Enquanto somos estudantes temos uma forte tendência a não dar tanta atenção para algumas disciplinas das fases iniciais do curso ou que às vezes estão em áreas de menor interesse. Esse é um comportamento comum, mas muito prejudicial na carreira do engenheiro, pois todo o curso de engenharia civil começa ensinando a base, que é justamente o conteúdo que melhor precisa ser compreendido para que a sequência do aprendizado seja consistente.
Assim, aproveite ao máximo as disciplinas iniciais do curso e os começos de semestre para entender integralmente o conteúdo proposto. Para isso, estude antes da aula o conteúdo que será ministrado para que você esteja melhor preparado para aprender o que o professor lhe ensinar, e a aula seja um espaço para você apenas esclarecer suas dúvidas.

2. Desenvolva estudos adicionais.

Durante seu curso de engenharia civil certamente você terá aulas com ótimos professores e alguns não tão bons. Todavia, lembre-se que o que determina o quanto você vai aprender é seu próprio esforço. Portanto, não se prenda somente naquilo que lhe é ensinado em sala de aula e procure aprofundar-se naqueles temas, lendo sobre o conteúdo antes e após suas aulas, para que você amplie sua visão sobre o assunto.

3. Aprenda a estudar por livros.

Quando você está em sala de aula e tem uma dúvida, pode facilmente levantar a mão e perguntar a seu professor, que provavelmente terá a resposta para seu problema. Na vida profissional não é bem assim, pois nem sempre temos alguém a quem recorrer para sanar uma dúvida. Por isso, é fundamental que você se acostume a estudar seus conteúdos sobre livros de engenharia, que quase sempre são uma referência muito confiável. Adquirindo esse hábito desde a graduação, você vai saber onde procurar as respostas para os problemas que vão surgir na vida profissional. No post Principais livros de engenharia de estruturas para estudantes e profissionais eu recomendei uma referência para você começar seus estudos.

4. Envolva-se com projetos de extensão e projetos de pesquisa de caráter prático.

Você realmente precisará “pôr a mão na massa” para aplicar o conhecimento adquirido em sala de aula. Uma das maneiras de fazer isso é procurar professores que atuem em projetos de extensão com a comunidade e envolver-se em atividades que tenham relação com sua área de interesse. Muitas vezes nesses projetos você tem contato com a rotina real de trabalho e tem a assessoria de seus professores para lhe orientar. Outra opção também são os projetos de pesquisa, mas esses você deve procurar entender bem se as atividades têm relação com a prática ou estão somente no âmbito da pesquisa que, apesar de importante e lhe garantir um trabalho, não necessariamente lhe traz experiência prática.

5. Aprenda a utilizar software.

Hoje em dia há software para quase tudo na engenharia e uma das grandes vantagens de usar um software é que ele permite que você faça simulações de situações reais num ambiente virtual. Por exemplo, ao aprender a utilizar programas para análise e dimensionamento de estruturas você pode estudar o comportamento de uma estrutura real variando as cargas, as dimensões dos elementos e vínculos, e entender o que acontece com os resultados. Aprender a utilizar programas ou até mesmo desenvolver seus próprios programas vai ampliar muito sua visão prática sobre um assunto que está estudando. Se você pretende trabalhar com software especializado na elaboração de projetos, recomendo que você leia o eBook: 7 passos de preparação para a utilização de software na elaboração de projetos estruturais

6. Estágios.

Uma das coisas mais efetivas na consolidação dos conhecimentos acadêmicos é fazer um bom estágio. Na maior parte dos cursos de engenharia você já pode fazer estágios a partir da quarta fase (2º ano), pois já está começando a ter contato com as disciplinas específicas de engenharia. Como sugestão para um plano amplo, recomendo que você faça três tipos de estágio nos três últimos anos: no terceiro ano você faça um estágio em alguma área de materiais de construção, no quarto ano em obras, e no quinto ano na área de projetos, podendo inverter os dois últimos conforme sua área de maior interesse (essa fica por último). Assim, você tem visão prática de tudo.

7. Trabalho final de curso – TCC

Agora que você já teve uma visão de todo o curso de engenharia civil e aproveitou bem o tempo de estudos para ampliar seus conhecimentos, escolha um tema para seu TCC que corresponda à área de interesse que pretende atuar. Escolha também um professor com experiência prática no tema e que possa lhe agregar uma visão complementar àquela que está tendo no estágio na mesma área.

Se você seguir essas recomendações, tenho convicção de que se sentirá seguro para entrar no mercado de trabalho e, principalmente, será reconhecido por ele e por seus superiores nas empresas.

Mãos à obra!

Se você gostou do material acima leia também
[CDATA[ */ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ */ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d