Execução de obras: como agir quando minha obra precisa ser ajustada?

Nos artigos anteriores tratamos de dificuldades comuns enfrentadas na execução de obras e suas possíveis consequências, como a perda de qualidade, extrapolar o prazo de entrega do empreendimento e aumento significativo das despesas frente ao orçamento pré-estabelecido.

O BIM, através da compatibilização dos projetos, figura como a forma mais adequada de evitar essas dificuldades, mas infelizmente no Brasil, a maioria dos projetos que chegam a execução ainda estão longe desse conceito, o que reflete no tempo prolongado para construção e aumenta a probabilidade da necessidade de correções improvisadas durante a edificação.

Quando a prevenção não for mais possível, o posicionamento estratégico pode ajudar o construtor no seu árduo trabalho de resolução de tais dificuldades. Veja algumas dicas que podem facilitar o processo.

Identifique a causa da improvisação

Quando ocorrem os problemas de aumento de despesas para realização de um determinado serviço – ou seja, no caso dos custos previstos serem suplantados pelo custo real de execução – a primeira atitude a tomar é a identificar a causa que provoca tal consequência.

Frequentemente a falta de compatibilidade entre os itens a se encaixar, surge como principal motivo da imprevisibilidade, levando a uma inevitável correção no curso do presente orçamento. Porém, vale lembrar que em nenhuma hipótese o chamado “orçamento a valor histórico” deverá ser corrigido, pois foi em função deste que toda a obra foi planejada.

Mapeie os custos adicionais

A partir desse momento, toda e qualquer alteração de custo decorrente deverá ser registrado para emissão de relatórios e análises futuras. Caso seja possível, reserve um percentual referente às soluções não previstas para os problemas decorrentes das incompatibilidades entre os projetos.

Não esqueça de computar o tempo despendido na resolução da compatibilização em obra em cada serviço, que deverá ser incluído o tempo a gasto na resolução do problema referente à incompatibilidade, tanto o tempo técnico quanto o administrativo, e também o tempo decorrente da solução encontrada.

Garanta a qualidade da obra

Apesar do tempo e do custo serem itens importantíssimos, a qualidade é a maior de todas as referências que o cliente final guardará da obra, sendo esta a mais importante de todas.

Para evitar a perda de qualidade deve-se agir de modo proativo, trabalhando e esgotando todas as possibilidades de resoluções da incompatibilidade, não importando, nesse caso, o tempo ou os valores necessários despendidos.

Adeque-se aos novos prazos

Tenha em mente que todo o tempo gasto para resolver o problema é um tempo não computado na programação inicial.

Para cada nova situação, o período gasto em cada novo contexto, como um novo projeto ou um croqui mínimo, seguido de um novo levantamento dos itens a serem acrescentados ao projeto e mais o acréscimo de mão-de-obra necessários para a nova empreitada, demandam um novo dimensionamento de tempo necessário a cada nova compatibilização.

Dessa forma, para cada serviço deverá ser previsto um intervalo de tempo executivo, maior do que de fato, seria necessário. Na prática, o tempo global de execução aumentará, resultando em um aumento dos custos fixos como aluguéis, impostos periódicos, vigilância de obra, etc.

Aprenda com as experiências passadas

Como pudemos verificar, todas as soluções dos problemas levantados passam pela compatibilização entre os projetos.

Esta compatibilização, desde o arquitetônico, passando principalmente pelos complementares e finalizando com os projetos de acabamento, deverá ocorrer com o auxílio de uma ferramenta centralizadora das ações e com um processo hierarquizado que facilite o processo de organização do gerenciamento dos projetos.

É nesse contexto que eu recomendo o QiCloud, que será de extrema utilidade, organizando as disciplinas em pastas e em subpastas, contendo as fases desde os anteprojetos até os projetos executivos e seus detalhamentos.

Os projetistas e demais players possuem suas prerrogativas e atividades definidas em uma hierarquia que permitirá um perfeito andamento da compatibilização entre os projetos.O restante do processo fica extremamente simplificado, uma vez que todos os demais itens e etapas serão controlados e definidos, dada a utilização de uma poderosa ferramenta de auxílio e organização.

Compartilhei neste artigo, minha visão sobre o atual cenário dos projetos que chegam em obras para execução e sugestões de melhoria para toda cadeia produtiva da construção nacional. Não deixe de participar com seu comentário. Quer ficar por dentro dos nossos conteúdos? Assine nossa newsletter!

Se você gostou do material acima leia também