Terremotos no Brasil: nossas estruturas prediais suportam abalos sísmicos?

Terremotos no Brasil: nossas estruturas prediais suportam abalos sísmicos?

Terremotos no Brasil, com baixa amplitude, são mais comuns do que você provavelmente tenha imaginado. No dia 13 de abril, Santa Catarina registrou um tremor de magnitude 3,7 na Escala Richter, ocorrido a 100 quilômetros da costa de Florianópolis. O evento, confirmado pelo Centro de Sismologia da USP, assustou parte da população, e levantou alguns questionamentos.

Você também pode se interessar:

Quais informações preciso para começar um projeto estrutural? 
Piscinas e tanques em edifícios altos: qual o efeito de acelerações horizontais?

Devemos nos preocupar com terremotos no Brasil?

Segundo nosso engenheiro e especialista em cálculo estrutural e sismologia, Ronaldo Parisenti, o Brasil está localizado relativamente distante da divisa das placas tectônicas, onde os efeitos do sismo são, em geral, mais representativos.

Parisenti explica que há também, no território brasileiro, falhas intraplaca que podem ocasionar sismos. Contudo, os efeitos deste tipo de evento são de menor magnitude. Situação diferente do que ocorre em países como o Japão, que já registrou abalos com até 8,4 de magnitude.

Tremores assim são capazes de danificar estruturas prediais?

De acordo com o engenheiro, a Norma Brasileira, ABNT NBR 15421:2006 – Projetos de estruturas resistentes a sismos, impõe requisitos para estruturas sismo-resistentes, porém limitados a determinadas regiões do país (conforme figura a abaixo).

 

Assim, em edificações localizadas na zona sísmica 0 da figura, não são exigidor requisitos de resistência anti-sísmica.

Apesar disso, o Brasil já registrou eventos da ordem de 5 a 6 pontos, como ocorreu em abril de 2008 no litoral de São Paulo, com 5,2 pontos na Escala Richter. A região, por sua vez, está classificada como zona 0, ou seja, livre de requisitos para estruturas sismo resistentes.

O que é possível fazer?

Para que as nossas estruturas resistam aos abalos, não apenas a magnitude do sismo é importante, mas principalmente a qualidade das construções. Neste sentido, é imprescindível seguir as boas práticas de projeto e construção, bem como observar as normalizações básicas em vigor no Brasil.

De outro lado, uma medida preventiva a ser considerada é a de instrução da população pela Defesa Civil. Desta forma, é possível saber quais cuidados deve-se observar nessa situação.

Em entrevista à RIC TV de Florianópolis, Parisenti explicou em mais detalhes o tremor registrado em Santa Catarina e tirou dúvidas sobre as estruturas prediais brasileiras no que se refere a episódios como esse.

Assista:

Se você quer ler saber mais conteúdos sobre terremotos no Brasil ou tem alguma sugestão de novos temas, compartilhe conosco nos comentários.

Se você gostou do material acima leia também