Como é o cenário atual de reuso de água em edificações?

Muito tem se falado sobre o reuso de água em edificações, afinal, o tema sustentabilidade do planeta ganha cada vez mais força. E, é claro, que esse assunto também tem passado pelo crivo da engenharia. Aliás, a engenharia está diretamente conectada à sustentabilidade, já que todas as suas ações incidem direta e indiretamente em utilização de recursos naturais, renováveis e não renováveis.

Os recursos envolvidos nas instalações hidrossanitárias prediais, como a água e esgoto, são renováveis. Muitas pessoas pensam o contrário, pois a água está se esgotando, devido ao consumo excessivo do homem. No entanto, a água está constantemente se repondo na natureza e, por isso, os recursos hídricos se tornam renováveis.

Nas instalações hidrossanitárias, a água é o principal recurso natural envolvido. Assim, é uma necessidade imediata repensar a engenharia das instalações hidrossanitárias prediais para racionalizar o consumo, otimizando oferta, consumo, desperdício e reaproveitamento.

Como desafio, o reuso da água em edificações é um fator para um novo pensar das instalações hidrossanitárias. As velhas práticas já não servem mais e o futuro exige uma forma de projetar, em que o reuso da água seja um dos elementos fundamentais das mudanças exigidas.

Atualmente, uma grande parcela das edificações existentes estão fora deste contexto, pois foram construídas na época em que a disponibilidade de água ainda não era um problema. No entanto, com esse novo cenário de racionalização do uso da água, passando pelo seu reuso, muitas iniciativas têm sido feitas para mudar o contexto das novas instalações hidrossanitárias prediais, projetadas com uma visão de largo prazo.

O desafio do reuso de água em edificações começa com respostas às seguintes interrogações:

  • O que pode ser reaproveitado?
  • Para o que pode ser reaproveitado?
  • O reuso aplica-se a todas as edificações?
  • Como conceber as instalações hidrossanitárias para o que será reaproveitado?

Essas perguntas não têm tido respostas coesas pela engenharia e muito menos pelos entes públicos que legislam a engenharia. Esse é um assunto novo e um desafio de um novo pensar e projetar as instalações hidrossanitárias prediais.

banner-ebook-boas-praticas-projetos-reuso-agua

Reuso de água em edificações: cenário atual

O que já é um consenso entre sociedade, gestores públicos e profissionais da engenharia é que as edificações devem ser projetadas e edificadas com base na racionalização do uso da água. Inclusive, a sociedade e os usuários das edificações já estão mais conscientes desta realidade e buscam adquirir unidades habitacionais que contemplem o reuso de água em edificações. Comercialmente, os imóveis que já possuem o foco em sustentabilidade têm sido os mais demandados.

Muitas cidades já possuem legislação que exige o reuso de água em edificações como item fundamental para a legalização e “Habite-se” dos prédios. O objetivo é direcionar cada vez mais o planejamento para a economia do consumo de água em locais onde os racionamentos serão uma realidade a curto e longo prazo.

No entanto, não existe uma coerência ou consenso entre essas leis. Às vezes, a legislação fica à frente das justificativas de custo-benefício e de conhecimento técnico sobre o tema. Isso acabada deixando os profissionais de engenharia engessados quanto às soluções efetivas em termos de aproveitamento e reuso racional que realmente funcionam.

Desafios para os profissionais da engenharia

Os profissionais ainda enfrentam dificuldades para encontrar um respaldo técnico comprovado de quando e como fazer o reuso de água em edificações de maneira realmente sustentável. Não existe uma coesão entre os estudos bibliográficos e científicos, o que complica o aprendizado e a aplicação fundamentada do tema.

O que tem sido feito até o momento, em termos de engenharia, segue a linha experimental e criativa, baseada em teses pontuais de estudos de caso. Assim, tenta-se encontrar uma nova forma de conceber e edificar sistemas hidráulicos de reuso realmente sustentáveis. Na verdade, estamos vivendo uma etapa de “reengenharia”, onde as velhas práticas não cabem mais e um novo pensar técnico se faz fundamental.

Neste novo mercado, o constante investimento no conhecimento, bem como o olhar mais criativo serão fundamentais para engenheiros e arquitetos. Afinal, eles devem conceber em conjunto as edificações para alcançar um resultado sustentável. A correlação entre as diferentes disciplinas da engenharia se faz fundamental para a eficiência das instalações e da sustentabilidade que se quer atingir.

Ser criativo para inventar e conceber sistemas hidráulicos eficazes de reuso de água em edificações já é um atributo fundamental. Também será necessário conscientizar os usuários das edificações para uma cultura de reaproveitamento de recursos naturais.

No próximo post, vamos falar sobre o que podemos reaproveitar e submeter ao reuso nas instalações hidrossanitárias. E para que finalidades podemos disponibilizar o reuso. Fiquem atentos!

Se você gostou do material acima leia também
[CDATA[ */ function read_cookie(a) { var b = a + "="; var c = document.cookie.split(";"); for (var d = 0; d < c.length; d++) { var e = c[d]
[CDATA[ */ function read_cookie(a) { var b = a + "="; var c = document.cookie.split(";"); for (var d = 0; d < c.length; d++) { var e = c[d]