Como fazer o detalhamento das unidades de tratamento de esgoto

Vimos no post anterior o dimensionamento das unidades de tratamento de esgoto residencial. Agora, com base nos resultados obtidos, será apresentado o detalhamento do tanque séptico, filtro anaeróbio e vala de filtração.

Tanques séptico

Deve-se considerar os seguintes aspectos para o dimensionamento do tanque de acordo com a NBR 7229/93, que regula o projeto, a construção e a operação dessa unidade de tratamento de esgoto.

– Profundidade útil mínima e máxima de acordo com o volume com base na tabela 1.

Volume útil (m³) Profundidade útil mínima (m) Profundidade útil máxima (m)
Tabela 1 – Profundidade útil mínima e máxima, por faixa de volume útil
Até 6,0 1,20 2,20
De 6,0 a 10,0 1,50 2,50
Mais que 10,0 1,80 2,80

– Quando o tanque for prismático:

  • relação comprimento/largura: mínimo 2:1 e máximo 4:1;
  • largura interna mínima: 0,80 m.

– Quando o tanque for cilíndrico:

  • o diâmetro interno mínimo deve ser de 1,10 m.

– A abertura das inspeções deve ter as seguintes considerações:

  • diâmetro maior ou igual a 60 cm;
  • deve ser posicionada em um local que permita acesso ao ponto de entrada de esgoto dentro do tanque;
  • a inspeção deve dar acesso a um raio de 1,5m, passando deste limite é necessário uma nova inspeção.

Na figura a seguir, confira as considerações sobre a disposição dos dispositivos de entrada e saída do tanque séptico.

tratamento-de-esgoto

Exemplo: considerando o volume de 7165,5 litros, tal como calculado no post anterior, teremos os seguintes detalhamentos para o tanque séptico prismático, considerando como profundidade útil o valor de 1,5m.

Tanque prismático

tratamento-de-esgoto02Vista superior

tratamento-de-esgoto03

Vista em corte

Medidas adotadas:

Largura: 150 cm

Comprimento: 320 cm

Profundidade: 150 cm

Volume resultante: 7,2 m³

banner-ebook-quiz-unidades-tratamento-esgoto

Filtro anaeróbio

Já sabemos que o filtro anaeróbio é uma unidade de tratamento de esgoto complementar, que funciona como um reator biológico. Deve-se considerar os seguintes aspectos para o dimensionamento do filtro anaeróbio de acordo com a NBR 13969/97:

02

Dimensões

  • O volume útil mínimo do leito filtrante deve ser de 1 000 L;
  • A altura do leito filtrante, já incluindo a altura do fundo falso, deve ser limitada a 1,20 m;
  • A altura do fundo falso deve ser limitada a 0,60 m, já incluindo a espessura da laje.

Distribuição do esgoto no tanque

  • Através de tubos verticais com bocais perpendiculares ao fundo plano, com uma distância entre aqueles de 0,30 m;
  • A área do fundo do filtro a ser abrangida por cada bocal de distribuição deve ser inferior a 3,0 m².

Drenagem do esgoto

  • Nos casos de filtros com fundo falso, um tubo-guia (Ø 150 mm em PVC) para cada 3 m² do fundo.

Além destes itens, a NBR 13969/97 apresenta uma série de outras recomendações sobre a elaboração do filtro, portanto, recomenda-se a leitura da norma.

Exemplo: considerando o volume útil igual a 3061,7 litros, será apresentado o detalhamento de um filtro anaeróbio cilíndrico, onde será adotada a altura útil do leito filtrante igual a 120 cm, com fundo falso igual a 60 cm.

Filtro cilíndrico

tratamento-de-esgoto04

tratamento-de-esgoto05

Medidas adotadas:

Diâmetro: 185 cm

Profundidade útil: 120 cm

Volume resultante: 3,22 m³

Vala de filtração

O detalhamento da vala de filtração também é realizado com base na NBR 13969/97. Confira a seguir algumas características:

– Deve-se considerar uma sobrelevação do solo acima da vala para evitar a erosão do reaterro da vala decorrente das chuvas;

– A camada de brita que fica localizada acima da camada de areia deve ser coberta por uma tela permeável, visando impedir a mistura entre o reaterro e a brita;

– Para evitar contaminação dos aquíferos, as paredes e o fundo da vala devem ser cobertos por um material impermeável;

– A vala deve ser montada conforme o indicado na figura a seguir, sendo:

  • Largura da vala onde é depositado o tubo de distribuição deve ter aproximadamente 1 metro;
  • Altura de brita onde deve ser instalado os tubos de distribuição e de coleta deve ser igual a 20 cm;
  • Camada de areia entre as britas deve ser igual a 70 cm.

Confira o detalhamento, de acordo com o exemplo do post anterior, no qual o comprimento total da vala foi igual a 20.8 m.

tratamento-de-esgoto06

 

tratamento-de-esgoto07

 

tratamento-de-esgoto08

 

Além destes itens, a NBR 13969/97 apresenta uma série de outras recomendações sobre a elaboração da vala de filtração, portanto, é recomendada a leitura da norma.

Agora que já temos os itens para detalhamento das unidades de tratamento de esgoto, vamos saber como as ferramentas especializadas podem ajudar na elaboração desses projetos. Aguarde o próximo post!

Ficou com alguma dúvida? Escreva para nós.

Se você gostou do material acima leia também
[CDATA[ */ function read_cookie(a) { var b = a + "="; var c = document.cookie.split(";"); for (var d = 0; d < c.length; d++) { var e = c[d]
[CDATA[ */ function read_cookie(a) { var b = a + "="; var c = document.cookie.split(";"); for (var d = 0; d < c.length; d++) { var e = c[d]