Vícios e inconformidades em edificações gerados por falhas de projetos

Uma construção, desde a concepção do projeto até a execução, passa por inúmeros processos e pela mão de diversos profissionais, entre eles, arquitetos, engenheiros e instaladores. Nesse ciclo repleto de etapas, é comum surgirem falhas nos projetos de edificações. Conheça a origem das principais inconformidades nas obras:

Quais as principais falhas em edificações decorrentes de projetos?

1. Falhas decorrentes de projetos

Na etapa inicial de um projeto de edificações, é essencial haver a integração entre os diversos profissionais envolvidos na obra. Se não há comunicação entre os projetistas e executores, é grande a chance de ocorrer incompatibilidade entre os sistemas prediais (estrutural, elétrico, telefônico, ar-condicionado) e subsistemas (vedações, circulação horizontal e vertical). Ou seja, se não existe uma coordenação, dentro do processo que chamamos de engenharia simultânea, o projeto já começa com erros que podem gerar refação na etapa de execução da obra.

Além dessas inconformidades, podemos destacar alguns vícios comuns em projetos de edificações que também podem impactar o bom andamento de projetos, como erros de dimensionamento, de concepção sistêmica, ausência ou incorreções nas especificações de materiais e de serviços, insuficiência ou inexistência de detalhes construtivos e, ainda, falta de domínio das exigência legais e normas.

Ainda antes de pensar na integração entre projetistas, é preciso também avaliar a aplicação de ferramentas que podem reduzir erros nos projetos de engenharia civil, especialmente nas fases de cálculos e dimensionamentos.

2. Falhas de execução em obra

Esta fase tem relação direta com a mão de obra executora das edificações, com o acompanhamento da obra e a fiscalização dos serviços por profissionais habilitados e competentes. A mão de obra precisa de capacitação contínua para entregar uma execução de qualidade, evitando vícios e falhas construtivas. Para isso, o papel do engenheiro no acompanhamento da obra é fundamental.

3. Falhas de componentes do sistema

Produtos e materiais com defeito ou de baixa qualidade costumam causar falhas nas obras construtivas. A garantia de um controle de qualidade nos materiais e componentes aplicados em uma obra é fundamental para se evitar as falhas construtivas. A escolha de marcas credenciadas, normatizadas e de renome no mercado são partes importantes no processo construtivo.

4. Falhas de utilização pelo usuário

Essas falhas não têm relação com a engenharia em si, mas com a má utilização da edificação pelo usuário, seja por falta de conhecimento, descuido ou atos de vandalismo. Nestes casos, a cultura do usuário é, portanto, um componente fundamental para evitar falhas. Geralmente, as edificações de uso público intenso – aeroportos, escolas, estádios de futebol – representam maiores problemas deste tipo.

5. Problemas no uso de softwares de apoio

Algumas falhas em projetos de edificações podem surgir do uso inadequado de uma ferramenta especializada, afinal, esses sistemas dependem do conhecimento técnico do profissional projetista. Conhecimento aliado ao filtro de conferência do que sai processado por um software é fundamental, pois a ferramenta ainda não substitui a massa pensante daquilo que se pretende edificar. É comum o projetista ingressar com dados errados no sistema e não conferir o resultado do dimensionamento.

Essas possíveis falhas na etapa de projeto podem causar diversas inconformidades nas edificações e instalações. Nos próximos posts vamos listar e comentar as principais patologias da área hidrossanitária decorrentes de projetos mal elaborados. Não perca e compartilhe suas experiências na área de comentários.

Se você gostou do material acima leia também