Obras públicas: principais consequências do trabalho com arquivos desatualizados - Mais Engenharia - Conhecimento em projetos de edificações.

Obras públicas: principais consequências do trabalho com arquivos desatualizados

 

Gostaria de ler este artigo mais tarde? Clique aqui e faça o download da versão em PDF.

As atividades que englobam as etapas de projeto e de execução de uma obra pública podem representar um universo de complexidades para os seus técnicos e gestores. E quando não há organização da documentação, dos arquivos e processos, soma-se a essa complexidade diversas consequências negativas, como os erros de execução e os aditivos contratuais

 

Essas deficiências são causadas devido às improvisações nos projetos e no

canteiro de obra, que levam à perda de qualidade, reduzida produtividade no processo de execução e a não conformidade da obra em relação ao projeto. 

 

Neste artigo, iremos focar nas principais consequências de se trabalhar com documentação e arquivos desatualizados em obras públicas, para que os profissionais de engenharia consigam identificá-las e tomar medidas para eliminá-las.

 

Boa leitura!

Documentos desatualizados da obra: fuja dessas consequências

Quando técnicos e gestores de obras públicas atuam em mais de um projeto ao mesmo tempo, é imprescindível que eles mantenham documentos e arquivos organizados e atualizados, tanto no escritório quanto no canteiro de obras, garantindo que seja executado o que foi planejado. A seguir, listamos as principais consequências ao não seguir essa regra.

Problemas de comunicação

A comunicação ineficiente entre os profissionais envolvidos em uma obra pública mantêm uma relação de causa e consequência no controle da documentação e de arquivos referentes ao empreendimento. Ou seja, ao mesmo tempo que a comunicação ineficiente é apontada como uma das principais causas da falta de organização de arquivos e documentos, é também uma das principais consequências, potencializando ainda mais a falta de controle da documentação da obra. 

Interferências entre projetos

Não manter os arquivos atualizados na obra pode ter como consequência a interferência entre os projetos. Imagine esse cenário: o projeto arquitetônico sofre uma alteração importante, que acarreta em modificações nos projetos estruturais e complementares. Se esta alteração na arquitetura da obra não for atualizada para toda a equipe de projetistas, irão ocorrer interferências que não serão detectadas previamente, ocasionando diversos problemas e refações na etapa de execução da obra.

Aditivos contratuais 

Ainda em se tratando do exemplo anterior, quando as interferências causadas por arquivos de projetos desatualizados são detectadas na fase de execução da obra, ocorre, ainda, a necessidade de aditivos contratuais, que podem ser utilizados tanto para a prorrogação de prazos quanto para acréscimos na quantidade de serviços não previstos no início do projeto e/ou no orçamento aprovado. 

Alterações com a obra em andamento

Arquivos desatualizados causam retrabalho durante a execução da obra. Os profissionais identificam o problema somente depois de terem avançado em uma etapa da execução da edificação, tendo que tomar a decisão de voltar atrás e resolver os erros.

Atraso nas entregas

Como pudemos perceber, manter a documentação e os arquivos dos projetos desatualizados pode ocasionar mudanças inesperadas na obra. Uma das principais consequências desse problema é a alteração e ampliação dos prazos de entrega do empreendimento, causando atrasos e malefícios para a sociedade, quando falamos de uma obra pública. 

Má qualidade das entregas

Arquivos desatualizados influenciam diretamente na má qualidade dos empreendimentos públicos. A partir dos problemas advindos dessa desatualização podem-se verificar consequências graves, como até mesmo a interdição, condenação e ocorrência de tragédias. 

 

Manter o controle dos projetos e a organização de toda a documentação referente à edificação é um aspecto técnico que todos os profissionais responsáveis por obras públicas devem seguir. Este é um dos preceitos para que as consequências que abordamos neste artigo não ocorram, ou ao menos sejam minimizadas. 

 

Como forma de facilitar o acompanhamento e atualização constante de arquivos, é possível contar com ferramentas na nuvem, que mantém arquivos da obra atualizados de forma centralizada e automática, acessíveis a qualquer hora e em qualquer lugar. 

 

Além disso, contar com ferramentas BIM que contenham recursos para a compatibilização de projetos e trabalho colaborativo permite detectar e eliminar interferências ainda na fase de planejamento da edificação, bem como facilitar a comunicação entre projetistas, auxiliando na redução de retrabalho no canteiro de obras.

 

Gostou do artigo? Compartilhe nas suas redes sociais e deixe o seu comentário abaixo!

 

Abraço e bons projetos!

Se você gostou do material acima leia também