Quanto cobrar por um projeto de engenharia? Veja algumas dicas

Quanto cobrar por um projeto de engenharia?

Definir um preço justo para seu trabalho pode ser um grande desafio, especialmente para os projetistas de primeira viagem. Isso ocorre porque existem muitos fatores a serem considerados, tais como: região em que o profissional atua, mercado local, tipo do projeto, tamanho e complexidade. Como, então, cobrar por um projeto de engenharia?

Existem algumas referências e métodos para estabelecer um valor adequado, a fim de que seu trabalho e dedicação sejam correspondidos e, desta forma, seja possível se enquadrar no mercado. Neste artigo, pretendemos, portanto, apontar caminhos possíveis para solucionar tal questionamento.

Você também pode se interessar:
4 estratégias fundamentais para se manter competitivo no mercado
Gerenciamento de obras: 5 erros comuns que devem ser evitados
O que é BIM? O que você precisa saber sobre esta metodologia

Referencial de preço

Associações, sindicatos, institutos estaduais e departamentos regionais de infraestrutura possuem tabelas que podem ser usadas como referência primária para a determinação do valor de seu projeto.

Em geral, os honorários propostos por essas tabelas são baseados em m², hora técnica, ou percentuais dos valores previstos das obras e instalações, e podem variar muito de acordo com o estado e região.

O Sindicato de Engenheiros de SC, por exemplo, estabelece um percentual para estudos e projetos entre 4 e 8% do valor total das obras. Já o IMEC, em MG, propõe que para o projeto estrutural deverá ser cobrado o valor de 20,00 por m² em obras de até 400m². No RJ, por outro lado, o cálculo é pautado na hora técnica do profissional.

O importante mesmo é se atentar que essas tabelas são variáveis até mesmo entre municípios de um mesmo estado e, principalmente, que elas não são o reflexo do que o mercado pratica hoje.

Entenda o contexto do mercado

Antes de mais nada, é necessário compreender a diferença entre preço e valor agregado, já que grande parte do mercado trabalha visando estes conceitos.

Ao estipular o preço, você deve considerar os custos envolvidos para o desenvolvimento do projeto, além de adicionar a margem de lucro desejada. O conceito de valor agregado, no entanto, está na percepção do cliente. Isto é, nos atributos que são agregados ao produto final, garantindo seu diferencial com relação aos demais concorrentes.

No caso de projetos estruturais e de instalações prediais, por exemplo, podemos citar o detalhamento executivo como um diferencial de mercado que agrega valor à sua entrega, tendo em vista que os detalhamentos facilitam a correta execução da obra e garantem um custo-benefício que vai muito além das pranchas.

Representações tridimensionais realistas também costumam agregar valor, pois materializam o projeto, tornando-o mais claro e palpável. E, cá entre nós, é da realização de sonhos que estamos falando.

Fique de olho na concorrência!

Não se engane, conhecer o preço que o seu concorrente exerce, bem como o valor agregado de seu trabalho, é fundamental para compreender o cenário do mercado. O que ocorre hoje, especialmente entre os projetistas menos experientes, é a nivelação do preço por baixo, a fim de ganhar espaço.

Apesar de parecer uma proposta oportuna, principalmente para quem ainda está iniciando uma carreira, essa espécie de proposição acaba desvalorizando os profissionais de modo geral e, claro, o trabalho do projetista em questão, já que afeta sua imagem e credibilidade perante os clientes.

Não é à toa que Mark Zuckerberg, CEO do Facebook, diz: “uma recomendação de confiança é o santo graal da publicidade.” É através da conquista e do encantamento de seu primeiro cliente que os próximos virão.

quanto-cobrar-por-projeto-engenharia

Não existe receita pronta para cobrar por um projeto de engenharia

De fato não há um valor pré-estabelecido, tão pouco uma integral que resulte no valor a ser cobrado por um projeto de engenharia. Mas ao observar múltiplas referências, pode-se chegar a uma variável justa e compatível com o seu objetivo profissional.

Por fim, lembre-se de alguns critérios que podem ser considerados no momento de precificar seu projeto:

  • Região em que o projeto se aplica
  • Valor praticado pelo mercado local
  • Valor agregado
  • Porte da obra
  • Complexidade da obra

Além disso, em caso de dúvidas, não deixe de procurar uma boa referência pessoal, um amigo experiente, ou até mesmo um professor que poderá lhe oferecer um norte.

Gostou deste conteúdo? Deixe seu feedback nos comentários.

Se você gostou do material acima leia também