Digital Construction Management: Por que você precisa conhecer

DCM (Digital Construction Management): O que é e por que você precisa conhecer

Gestores, investidores e empresários da construção civil atentos às tendências do mercado, já sabem que a gestão digital do empreendimento está impulsionando os resultados da construção.  

Não é à toa que países como Estados Unidos e Alemanha lideram nesse conceito por meio da implementação e uso de sistemas DCM (Digital Construction Management) em suas obras 

O conceito de gestão digital, por meio de sistemas DCM que são pensados e desenvolvidos para o mercado da construção civil, traz mais visão, controle e previsibilidade para os envolvidos nas etapas de gestão, desde o planejamento, compatibilização, orçamento, custos até o gerenciamento de projetos, processos e execução, durante todo ciclo de vida da obra. 

E, quando aliado ao BIM, impulsiona ainda mais esses resultados.  

Embora a sigla DCM (Digital Construction Management), já seja consolidada na América do Norte, Europa, Ásia e Oceania, mas pouco difundida no mercado nacional, seu conceito de integrar soluções para promover uma gestão que combina conhecimento técnico sobre construção civil e estratégias em negócios, já é bastante comum em terras brasileiras. Ou, pelo menos, deveria ser.  

Então, o que são sistemas DCM (Digital Construction Management)? 

Os sistemas DCM (Digital Construction Management), ou Gestão Digital da Construção em português, são plataformas de software projetadas para otimizar e aprimorar o gerenciamento de um empreendimento, a partir da integração com seus projetos de construção, principalmente por meio do conceito BIM.  

O uso desses sistemas melhora a colaboração, comunicação e eficiência geral em projetos de construção, além de trazer mais previsibilidade e informações para tomada de decisão de investidores e gestores. 

 

caracteristica dos sistemas DCM

Dentre as principais características e capacidades dos sistemas DCM podemos citar: 

Planejamento e Cronograma do Projeto: Ferramentas para criar e gerenciar cronogramas de projetos, incluindo dependências de tarefas, alocação de recursos e análise do caminho crítico. 

Gestão de Documentos: Armazenamento centralizado e gerenciamento de documentos, desenhos e especificações do projeto. Isso pode facilitar o controle de versões, controle de acesso e compartilhamento fácil de informações entre as partes interessadas do projeto. 

Colaboração e Comunicação: Plataformas que permitem ferramentas de comunicação, como notas para os envolvidos diretamente no projeto, mensagens, comentários e sistemas de notificação, aprimoraram a colaboração entre os membros da equipe. 

Orçamentação e Gestão de Custos: Rastrear despesas do projeto, gerenciar orçamentos e gerar relatórios de custos não precisam ter um processo exaustivo e exclusivamente manual. Aliado ao conceito BIM, as plataformas DCM já permitem extrair relatórios automatizados a partir dos projetos IFC ou mesmo de planilhas de quantitativos. 

Gestão de Qualidade e Segurança: Recursos para monitorar e gerenciar os aspectos de qualidade e segurança de projetos de construção, incluindo inspeções, rastreamento de conformidade e relatórios de incidentes. 

Integração com BIM: Os melhores sistemas DCM já atendem ao conceito BIM e permitem a integração com software OpenBIM, possibilitando tanto uma melhor visualização e coordenação de planos de construção em um ambiente digital, quanto trazendo mais precisão ao cronograma e orçamento de obras. 

Análises e Relatórios: Um dos grandes diferenciais do uso de plataforma DCM está na sua capacidade de gerar rapidamente relatórios e análises sobre o desempenho do projeto, ajudando os gerentes de projeto e investidores a tomarem decisões baseadas em dados.  

Gestão de processos: Identificar e mitigar os gargalos operacionais dentro da própria equipe e alocar seus recursos humanos de maneira otimizada é o principal caminho para elevar o nível de qualidade das suas entregas e o reconhecimento da sua marca. Uma boa plataforma DCM conta com essa solução já pensada para construção civil. 

O que a diferencia das tecnologias e abordagens já existentes é sua orientação para o gerenciamento de custos, processos e tempo 

Ou seja, o uso de sistemas DCM é especialmente indicado para diretores, gestores e investidores – ainda que seja útil para todos os envolvidos na construção civil, do escritório ao canteiro de obras.  

Tal qual sistemas ERP’s (Enterprise Resource Planning), um sistema DCM promove a integração de ferramentas para otimizar a gestão de negócios. O diferencial é sua orientação para as particularidades do setor da construção civil. 

É importante observar que os campo da tecnologia, gerenciamento e construção estão em constante evolução, e, portanto, novas soluções podem ser agregadas às plataformas DCM, que já vem ganhando novos horizontes com o uso de inteligência artificial e big data. 

Como sistemas DCM podem ajudar o mercado da construção?  

Certamente você já ouviu falar do BIM (Building Information Modeling), a metodologia de trabalho que traz a informação para os modelos virtuais da construção civil, integrando todos os agentes e disciplinas envolvidos no desenvolvimento de um projeto.  

Aliado com sistemas DCM, os impactos positivos do BIM tornam-se mais perceptíveis e mensuráveis para gestão e investidores, uma vez que trazem mais segurança e precisão para todos os envolvidos nas etapas de planejamento, gestão de custos, gerenciamento e compatibilização de projetos, processos, documentação, aprovação, execução e entrega da obra.  

Quando falamos de processos operacionais, os sistemas DCM auxiliam na automatização de processos manuais como extração de quantitativos de projetos, simulações de cenários usando diferentes bases de custos, análise de fatores como logística e chuva, vínculo do planejamento com orçamento, entre outros.  

A integração de diferentes soluções para cada necessidade em uma única plataforma, tornam os sistemas DCM um poderoso aliado para alta gestão, não só de construtoras e escritórios de projetos e custos, mas também para instituições governamentais, principalmente na questão de transparência no uso de receita pública. 

Dentre outras vantagens e possibilidades com o uso de sistemas DCM, estão: 

  • Modelagem de Informações de Construção (BIM): O uso do BIM possibilita a automação da extração de quantitativos a partir do modelo.  
  • Integração de dados: Centralização de informações, como cronogramas, orçamentos, documentos, em uma plataforma digital única para facilitar o acesso e a colaboração. 
  • Colaboração online: Possibilidade de colaboração em tempo real entre as equipes de projeto e construção, independentemente da localização geográfica, para melhorar a comunicação e a tomada de decisões. 
  • Mobilidade: Uso de dispositivos móveis e notebook para coletar e atualizar dados diretamente no canteiro de obras, agilizando a captura de informações. 
  • IoT (Internet das Coisas): Implantação de sensores e dispositivos conectados para monitorar o desempenho de equipamentos, a qualidade do ar, a segurança e outros aspectos da construção em tempo real. 
  • Análise de dados avançada: Uso de inteligência artificial para identificar e classificar os elementos genéricos provenientes dos projetos. 
  • Gestão de documentos: Armazenamento e organização de documentos digitais, como contratos, licenças e manuais, para facilitar a recuperação e a conformidade. 
  • Acompanhamento de custos e orçamentos: Monitoramento em tempo real dos custos do projeto e comparação com o orçamento planejado. 
  • Gestão de mudanças: Registro e controle de todas as alterações no projeto, incluindo revisões de design e solicitações de mudança. 
  • Segurança digital: Implementação de medidas de segurança cibernética para proteger os dados e sistemas utilizados na gestão digital da construção. 
  • Integração de ferramentas e aplicativos: Integração de software de gestão de projetos, software de BIM, ferramentas de planejamento e outras soluções para criar um ecossistema digital coeso. 
  • Integridade dos dados: informações do projeto são acessados apenas por pessoas autorizadas. 
  • Sustentabilidade: Consideração de práticas sustentáveis durante o processo de construção, com análise de impacto ambiental e uso eficiente de recursos. 

Para quem e para que servem os sistemas DCM?  

homem com capacete analisando grafico em tablet em uma obra

Os sistemas Digital Construction Management trazem benefícios para várias partes envolvidas.  

Dentre os principais beneficiários estão os gestores de custo, que podem otimizar o controle financeiro dos projetos, garantindo um gerenciamento mais preciso dos orçamentos, prevendo e identificando rapidamente desvios e oportunidades, resultando em economia e otimização dos recursos. 

Os donos de construtoras contam com um aliado poderoso para obter uma visão integrada de seus projetos e orçamentos, incluindo um melhor controle de prazos, gerenciamento eficiente de recursos e maior qualidade do trabalho. Os sistemas DCM também facilitam a identificação de oportunidades de melhoria em processos e fluxos de trabalho, o que torna possível identificar os gargalos de produtividade da equipe. 

Outros agentes da construção civil, como engenheiros, arquitetos e empreiteiras, também se beneficiam dos sistemas DCM, no que tange a colaboração e coordenação eficientes das trocas necessárias entre as partes envolvidas em um projeto.  

Isso aumenta a transparência na comunicação e facilita a resolução de conflitos. Como resultado, os projetos se tornam mais eficazes, com menos retrabalho e entregas mais completas, o que resulta em orçamentos e planejamentos mais precisos e gestão com mais previsibilidade e informações, reiniciando o ciclo virtuoso da gestão digital da construção. 

 

7 benefícios de uma plataforma DCM 

Como já vimos, o uso de sistemas DCM oferece uma série de vantagens para diversos agentes da construção civil, ao longo de todo ciclo da obra.  

Orçamentistas, investidores, BIM Managers e gestores públicos são beneficiados pelo uso eficiente de recursos que, por consequência, garante mais economia, transparência e lucratividade. 

Entenda como os preceitos da gestão digital da construção promovem esses benefícios: 

  1. Projetos mais eficientes: Com projetos em BIM e o uso de um ambiente comum de dados, ou, no inglês, Common Data Environment (CDE), presente no Digital Construction Management, é possível acompanhar cada atualização realizada pelos envolvidos, integrando especialistas, orçamento e planejamento desde as fases iniciais dos projetos.
  2. Previsibilidade de custos: O uso de sistemas DCM auxilia na monitorização constante de custos comuns e variáveis, como fator de influência da chuva (FIC) e logística. Assim, é possível ter maior previsibilidade e controle, possibilitando tomar medidas preventivas ou corretivas para evitar desperdícios financeiros. Também é possível simular cenários e analisar o impacto financeiro dessas escolhas.
  3. Gerenciamento de documentos simplificado: Plataformas digitais centralizadas facilitam o gerenciamento e o acesso a documentos relevantes, como contratos, licenças e registros, economizando tempo e garantindo conformidade.
  4. Controle e confiabilidade: Softwares de análise de dados e inteligência artificial ajudam na identificação de elementos genéricos, reduzindo o trabalho operacional do orçamentista, além de contribuir com a implementação de estratégias de mitigação mais eficazes.
  5. Transparência na comunicação: Ferramentas de colaboração online, como o Visus Collab, melhoram a comunicação entre as partes interessadas, incluindo proprietários, empreiteiras e subempreiteiras, garantindo que todos estejam alinhados com o progresso do projeto.
  6. Gestão de processos: Os sistemas DCM otimizam o gerenciamento de processos, permitindo identificar gargalos de produtividade, trazendo uma visão de todas as etapas do processo interno do seu escritório ou construtora. São soluções como o Visus Workflow, pensado e desenvolvido para processos da construção civil, que são mais adequadas para construtoras e escritórios de gestão de custo, já que estão alinhadas às características particulares deste tipo de atuação.
  7. 7. Controle e previsibilidade das etapas da obra: Como consequência natural da obtenção de dados e da otimização de processos, as obras são realizadas sem necessidade de aditivos financeiros ou de prazo.

Esses são apenas sete dos diversos benefícios que ilustram como o uso dos sistemas DCM desempenham um papel crucial na modernização e eficiência da gestão na indústria da construção, impactando positivamente todas as partes envolvidas no processo. 

 

Onde os sistemas DCM já são utilizados?  

O uso de plataformas Digital Construction Management (DCM) tem ganhado aceitação e implementação na construção civil de vários países. Embora possa variar, existem regiões onde a terminologia DCM para sistemas de gestão digital da construção está mais consolidado. 

Mas é preciso lembrar que, embora a terminologia ou classificação de sistemas para gestão da construção como plataforma DCM seja incipiente no Brasil, o conceito de gestão digital não é novidade em terras tupiniquins. Inclusive, existe que a possibilidade que, ao longo do texto, você tenha pensado algo como, eu já faço isso, só não sabia que tinha esse nome.  

Portanto, vale o reforço que o mercado da construção civil brasileira ainda inicia na adoção da terminologia DCM para softwares de gestão de custos, orçamento, planejamento, mas não no conceito de gestão digital do empreendimento. 

Algumas áreas onde o uso da terminologia DCM é comumente utilizado incluem: 

  • Estados Unidos: Empresas de construção nos Estados Unidos têm adotado práticas de gestão digital em grande escala. O uso da metodologia Building Information Modeling (BIM), softwares de gestão de projetos e soluções de colaboração online é bastante difundido em grandes projetos de construção. O país lidera a busca pelo termo Digital Construction Management, evidenciando o interesse pela prática. 
  • Europa: Países europeus, como o Reino Unido e Alemanha, têm liderado a adoção de BIM e outras tecnologias digitais na construção. Assim como no Brasil, muitos governos europeus incentivam ativamente o uso de BIM em projetos públicos e também na fase de orçamentação, contribuindo para a consolidação do DCM na região. 
  • Austrália e Nova Zelândia: Estes países têm implementado práticas e sistemas DCM em diversos projetos de construção. O BIM é amplamente adotado, e as empresas buscam integrar tecnologias para otimizar a gestão de projetos e a colaboração entre as partes envolvidas. Para se ter uma ideia, na Austrália já existe uma graduação na área de gestão especializada com uso de sistemas DCM, a Bachelor of Digital Construction Management. 
  • Ásia: Países como Singapura têm investido em transformação digital na construção. O governo de Singapura, por exemplo, lançou iniciativas para promover a adoção de BIM e outras tecnologias digitais na indústria da construção. Vale citar também a Índia, que desponta como um dos países onde há mais busca pelo termo.   
mapa mundi com destaque Estados Unidos, Reino Unido, Alemanha, Austrália, Nova Zelândia, Singapura e Índia

Estados Unidos, Reino Unido, Alemanha, Austrália, Nova Zelândia, Singapura e Índia incorporam o uso de DCMs na gestão digital da construção.

A adoção de sistemas DCM pode variar dependendo do tamanho e do tipo dos empreendimentos a atuação, bem como da maturidade digital da indústria em uma determinada região.  

A tendência, no entanto, é que o uso de sistemas DCM continue expandindo à medida que as empresas tenham acesso aos benefícios da implementação de tecnologias para melhorar a eficiência, a colaboração e a qualidade na construção como um todo. 

Inclusive existem iniciativas governamentais, como a estratégia BIM BR de difusão e adoção do BIM e a nova Lei de licitações e contratos, nº 14.133, que determinam o uso do BIM nas etapas de orçamento e planejamento, e o uso de plataforma DCM surge como facilitadora desse processo. 

No Brasil, a plataforma Visus lidera o conceito de sistemas DCM, principalmente ao considerar uma plataforma que integra diferentes soluções. Milhares de construtoras, escritórios de projetos e instituições públicas já contam com esse poderoso aliado no seu modelo de gestão, integrando diferentes soluções.  

 

A Plataforma Visus é um sistema DCM? 

Sim. A Plataforma AltoQi Visus é composta de diferentes soluções que atendem necessidades específicas da gestão da construção, para qualquer tipo e porte de projeto residencial, predial e de infraestrutura. Entre as soluções atendidas estão: 

Visus Cost Management 

Gestão de custos de materiais e serviços do empreendimento e visualização dos modelos IFC; 

Visus Planning 

Planejamento das etapas construtivas do empreendimento já vinculadas ao orçamento; 

Visus Collab 

Ambiente comum de dados para compatibilização, documentação, apontamentos e colaboração entre os agentes do projeto; 

Visus Workflow 

Gestão das pessoas, atividades e processos corporativos; 

Visus Control TowerEm breve

Monitoramento de custos e prazos do empreendimento; 

Visus Bid Em breve 

Para encontrar, solicitar e gerenciar cotações de materiais e serviços entre fornecedores e construtores de um empreendimento; 

Visus – Tracking Em breve 

Para acompanhamento e atendimento dos critérios de medição; 

Outro diferencial da plataforma Visus está no fato de ser OpenBIM, o que possibilita extrair os quantitativos dos projetos de forma automatizada, a partir de arquivos IFC, independente do software nativo no qual foram elaborados.  

E para quem ainda não opera nessa metodologia, também possibilita a importação de planilhas de quantitativos. As soluções Visus são integradas, reunindo em um só lugar os dados e informações necessários para alcançar uma gestão verdadeiramente eficiente e assertiva. 

 

Panorama de gestão da construção X adoção de sistemas DCM na construção civil 

Considerando o mercado nacional como um todo, fica nítido que hoje acontece uma gestão pulverizada da construção, com a gestão distribuída em vários sistemas e, em certa medida, ainda realizada manualmente, onde eventualmente, pode ocorrer perda de dados.  

A adoção de um sistema DCM, como a Plataforma Visus, surge como uma evolução natural, inevitável e necessária na gestão de empreendimentos, tanto nos seus benefícios imediatos, quanto nos de médio e longo prazo. 

E não se trata de um movimento isolado. O mercado global está atento às questões da escassez de recursos e aos avanços da inteligência artificial. É fácil perceber que o caminho está na utilização de uma ponta para solução da outra. Enquanto trilhamos esse caminho, é essencial estabelecer bases sólidas para uma gestão integrada e inteligente. E isso passa pelo uso de sistemas DCM.   

Publiquei sobre isso recentemente também na conta da Bilds e do LinkedIn. Conecte-se comigo para falar mais sobre este assunto.  

Se você gostou do material acima leia também

A AltoQi
Suporte
Nossas redes sociais
Logo AltoQi
Copyright ©️ 2022 AltoQi - A Tecnologia da Construção.
x